VIRIATO MATOS, padre, missionário em Angola, músico, escritor, TV Angola, natural de Pinelo - Vimioso

Padre Viriato Augusto Fernandes de Matos nasceu em Pinelo, Diocese de Bragança e Miranda, em Portugal, em 11 de Dezembro de 1938. Frequentou o Seminário das Missões em Tomar, Cernache do Bonjardim e Cucujães.
Fez o Juramento Missionário em 31 de Julho de 1960 no Seminário de Cucujães. Foi ordenado sacerdote em 15 de Agosto de 1964, também em Cucujães.
Até 1978 foi professor, prefeito e vice-reitor do Seminário das Missões de Cernache do Bonjardim. Foi nesse tempo que o Seminário das Missões criou um curso de preparação para a universidade, aberto a estudantes externos. De 1974 a 1980 acumulou também as funções de membro do Conselho Geral da Sociedade Missionária com especial responsabilidade na formação nos seminários. De 1978 a 1982 foi director espiritual do Seminário da Boa Nova, em Valadares, paroquiando ao mesmo tempo a freguesia local de Vilar do Paraíso e dando aulas de Religião e moral na Escola Secundária de Valadares.
Em 1983 partiu para Angola e trabalhou oito anos na Paróquia de Santa Ana, na periferia de Luanda, criativo e infatigável, sendo também responsável arquidiocesano da pastoral da juventude onde foi admirado por bispos e sacerdotes e sobretudo pelos jovens. Foi também professor em diversas escolas da cidade de Luanda e manteve programas de música na televisão oficial. Havia frequentado o Conservatório do Porto e sempre se dedicou, com gosto, à música nos seminários e paróquias.
Em 1991 voltou a Portugal nomeado ecónomo geral da Sociedade Missionária, funções que exerceu até à morte, correndo de seminário em seminário e visando as regiões missionárias. Simultaneamente voltou a ser membro do Conselho Geral da Sociedade eleito em três Assembleias Gerais.
Como ecónomo geral da Sociedade tinha residência na casa central, em Lisboa, da qual era superior. Dinâmico e serviçal, colaborou sempre em muitas paróquias e movimentos de Lisboa, quer no centro, quer sobretudo nas paróquias novas da periferia onde abundam os neo-catecumenais. Foi por duas vezes membro do Conselho Presbiteral do Patriarcado. Participou activamente nas iniciativas dos organismos missionários, como nas semanas missionárias das Obras Missionárias Pontifícias. Era também zeloso ecónomo da Logomédia em nome dos institutos religiosos e missionários. Foi por muitos anos o rosto e o espelho dos missionários da Boa Nova em variados sectores de Lisboa.
Era homem de ampla cultura que alimentou com leitura e estudo ao longo de toda a vida. Paralelamente cultivou sempre uma espiritualidade profunda e era da vivência espiritual que brotava o seu incansável dinamismo apostólico.
Gostava de escrever nas publicações da Sociedade Missionária, mantendo colaboração mensal na Boa Nova. Dirigiu nos últimos anis a revista Igreja e missão. Os últimos meses foram de sofrimento após a melindrosa operação cirúrgica que não conseguiu debelar o tumor maligno.
Faleceu no Hospital da CUF, em Lisboa, a 8 de Outubro de 2009. (Rádio Condestável, Cernache do Bonjardim, 09.10.2009)

Mensagens populares