Igreja/Desporto FERNANDO SANTOS: sublinha «obrigação» de anunciar mensagem cristã

Igreja/Desporto
FERNANDO SANTOS: sublinha «obrigação» de anunciar mensagem cristã
                 Agência Ecclesia



                 O selecionador esteve, esta sexta-feira, em Meda (Diocese de Lamego) a dar o seu testemunho de fé e disse que “tomou consciência que deve ser um evangelizador, tal como todos os cristãos”.
                 O Papa Francisco utiliza, com frequência, o termo “periferias” e Fernando Santos realça que o “primeiro local de evangelização é a família”, mas os cristãos “têm de sair da sua zona de conforto”.

                 O cristão tem a uma “obrigação missionária” e Francisco consegue explicar o Evangelho de forma simples, por isso o selecionador nacional tem “uma grande admiração” pelo Papa argentino.
                 Fernando Santos sublinhou que quando “fez o encontro com Cristo, há cerca de 20 anos”, sentiu que tinha “a obrigação de anunciar o Evangelho”.
                 No auditório do Patronato de Meda, com a presença de muitos jovens, o selecionador nacional tem consciência que o seu testemunho “pode cativá-los no caminho do Evangelho” por ser “uma figura pública”.
                 A respeito do troféu ganho em França com a seleção portuguesa de futebol, Fernando Santos salienta que a vitória não é dele, mas “a vitória de Portugal”.
                 “Sei que as minhas palavras e a forma de estar é vista duma forma diferente”, afirmou.
                 No seu testemunho, onde mostrou a crucifixo que o acompanha diariamente (na foto), o selecionador nacional colocou o futebol em segundo plano e considera que São Paulo o persegue.

                 A forma de São Paulo “pregar aos outros” e não ficar apenas “dentro da sua esfera e da sua zona de conforto” é um exemplo para Fernando Santos.
                 As «Cartas de São Paulo» são “muito atuais”, completou Fernando Santos que gosta também de ir ao Santuário de Fátima.

                 O selecionador nacional de futebol apresenta, hoje, em Lisboa, a obra «O Rosário para crentes e não crentes» da autoria de José Luís Nunes Martins e Paulo Pereira da Silva.
                 Com a chancela da Paulus Editora, o livro está direcionado para “quem acredita e quem não crê” e os autores meditam os 20 mistérios do Rosário com um “olhar diferenciado” para crentes e para não-crentes, lê-se na nota enviada à Agência ECCLESIA.
                 LFS

Mensagens populares deste blogue

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos