PORTUGAL "Valeu a pena impedir descida da TSU, era uma medida muito injusta"

PORTUGAL
"Valeu a pena impedir descida da TSU, era uma medida muito injusta"
O PEV considerou hoje que "valeu a pena impedir a descida da TSU porque era uma medida muito injusta", registando com agrado a redução do Pagamento Especial por Conta (PEC), que "revela preocupação" pela dinâmica económica do país
© Global Imagens POLÍTICA  27.01.2017 JOSÉ LUÍS FERREIRA  POR LUSA

No debate quinzenal com o primeiro-ministro, hoje no parlamento, o deputado do PEV José Luís Ferreira considerou que "valeu a pena impedir a descida da TSU porque era de facto uma medida muito injusta".

E, não considerando nós que a redução do Pagamento Especial por Conta vise substituir esta medida - e muito menos que se trate de uma compensação pelo aumento do salário mínimo nacional -, ainda assim nós registamos com agrado até porque sempre defendemos a redução do PEC e a sua eliminação", defendeu.
O PEV, acrescentou, regista assim "com agrado este importante sinal por parte do Governo que revela preocupação pelas micro, pequenas e médias empresas e também pela dinâmica económica do país".
José Luís Ferreira questionou ainda o primeiro-ministro sobre o desrespeito do Governo espanhol na questão da central nuclear de Almaraz, interrogando se não considerava "oportuno que o chefe de Governo exercesse pressão para assegurar o seu encerramento".
"Eu já fiz, faço e continuarei a fazer o que me compete fazer nessa matéria, pode não ser público, mas continuarei a fazer da forma que melhor protege o interesse nacional", assegurou António Costa.
O PEV pediu ainda explicações sobre o anúncio feito pelo Governo de 18 milhões de euros para financiar as culturas de eucalipto, considerando que não é "congruente que se criem estes caminhos de apoio ao eucaliptal".
"Vamos investir na floresta 500 milhões de euros, os 18 milhões de euros é por isso na melhoria de produtividade do eucalipto e é uma pequena parcela no volume global de investimento. Serão privilegiadas espécie autóctones, para uma floresta ordenada e mais resiliente para incêndios", explicou o primeiro-ministro.

Na agenda do PEV estiveram ainda os transportes públicos, que "continuam a prestar serviço longe das necessidades dos utentes", com o primeiro-ministro a assinalar a "mudança de paradigma dos transportes", com a entrega pela primeira vez da tutela dos transportes públicos urbanos das obras públicas ao Ministério do Ambiente.

Mensagens populares deste blogue

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto