PORTUGAL BOANOVA VIDAS DADAS COMO AS MELHORES DE PAI E DE MÃE por ARTUR MATOS, diretor

PORTUGAL
BOANOVA Agosto-Setembro 2016
VIDAS DADAS COMO AS MELHORES DE PAI E DE MÃE por ARTUR MATOS, diretor

Neste número de agosto-setembro partilhamos com os nossos leitores algumas notícias/acontecimentos e testemunhos (ver DESTAQUE pp.20-26) da Família Boa Nova, incluindo a Festa Missionária e a Peregrinação Missionária a Fátima. Relevamos, em especial, os 99 anos do Irmão Joaquim Marçal (p.35), as Bodas de Ouro sacerdotais do P. António Mamede Fernandes (p.35,) as Bodas de Diamante Sacerdotais dos Padres Francisco Mayor Sequeira, António Tavares da Silva, Manuel Ferreira de Sá e André Marcos; por fim, o juramento missionário do jovem Constantino Hatende e o seu diaconado (p.35). Nada de novo, nestas comemorações; afinal, todos os dias milhões de pessoas comemoram datas parecidas, solenes e marcantes da vida.
Mas… que há de especial nestes homens? Falamos de vidas feitas de grandes renúncias por um bem maior sublimando o amor, que ninguém dispensa, na doação total aos outros, aos mais frágeis e distantes na geografia e no coração.
São vidas consagradas a Deus e aos irmãos, a tempo e a amor plenos, deixando casa, família, conforto, amigos, pátria, pai, mãe, irmãos… Vidas que passam despercebidas (para muitos inúteis ou dispensáveis) quando se vê apenas o vil metal ou um mundo cor-de-rosa projetado num ideal cómodo e hedonista.
- Nem todos sabem distinguir um diamante de uma bela pedra!
A vida missionária, dada e vivida como estes de que falamos, é, com toda a certeza, uma vida ganha e feliz. Pela graça de Deus, tiveram a lucidez e a generosidade de perceber o chamamento à felicidade de tornar os outros felizes e de vender tudo quanto possuíam para “comprar o campo que tinha escondido em si uma pedra preciosa de alto valor”.
Falando dos mais velhos (PP. Mamede, Mayor Sequeira, Ferreira de Sá, André Marcos, Tavares da Silva e Irmão Marçal) falamos de homens que jogaram as vidas nas mais diversas circunstâncias e dificuldades, alguns deles arriscando seriamente a vida em defesa dos mais desfavorecidos e explorados. Agora, já debilitados pela idade e pela doença continuam missionários, alguns no Lar de Santa Teresinha, a viver com o coração apegado ao povo, por ele rezando e oferecendo a vida até ao fim.
Como um pai e uma mãe dos melhores do mundo, que dão a vida e todo o amor aos seus filhos, estes missionários, somam a vida a esta imensa onda de ternura e de beleza de vidas dadas que fazem do mundo uma terra habitável.
Sem este amor incondicional que, muitas vezes, passa o limite do normal, num excesso de doação e de entrega, seria muito difícil acreditar que o amor existe, que Deus existe.
Por estas vidas dadas, por este amor vivido e testemunhado, é importante sublinhar que, por elas - e de que maneira! -o mundo ganha “cem vezes mais” a sua sustentabilidade e reforça a esperança de ser, cada vez mais, um mundo melhor.
Por isso, e também por eles, para quem tem fé, não há maior serviço à humanidade que o serviço missionário (S. João Paulo II).

Boa Nova faz no dia 15 deste mês de agosto 92 anos.

Desde 1924 na linha da frente da Imprensa Missionária.

Mensagens populares deste blogue

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto