Dia Mundial das Missões O mandamento continua actual: «Ide e fazei discípulos de todos os povos» por HUGO ANES

Dia Mundial das Missões
O mandamento continua actual: «Ide e fazei discípulos de todos os povos» por HUGO ANES

No início do seu pontificado, Pio XI fez um gesto surpreendente: na festa de Pentecostes de 1922, interrompeu a sua homilia e, para espanto de todos, tirou o seu solidéu e fê-lo passar entre a multidão de bispos, presbíteros e fiéis na Basílica de São Pedro, enquanto pedia a toda a Igreja ajuda para as missões.
O Santo Padre Pio XI era conhecido pelo seu ardor missionário. E foi ele quem instituiu, em 1926, o Dia Mundial das Missões. A partir de então, no penúltimo domingo do mês de outubro começou a celebrar-se do Dia Mundial das Missões.
No dia 23 de outubro celebra-se o 90º Dia Mundial das Missões. Neste dia, a Igreja Católica foca a sua atenção na gratidão a Deus pelo dom da fé. E depois dirige o seu olhar para aqueles povos em que a fé ainda é frágil e precisam de ânimo espiritual e material para enfrentar as dificuldades.
A Mensagem do Papa
Na sua mensagem para o Dia Mundial das Missões, intitulada “Igreja missionária, testemunha de misericórdia”, o Papa Francisco escreve: «Não restrinjamos o coração às nossas preocupações particulares, mas alarguemo-lo aos horizontes da humanidade inteira». E o Santo Padre explica que tendo nós recebido o dom da fé – devemos também desejar que os outros o recebam: “Cada povo e cultura tem direito a receber a mensagem de salvação, que é dom de Deus para todos. E a necessidade dela redobra ao considerarmos quantas injustiças, guerras, crises humanitárias aguardam hoje, por uma solução. Os missionários sabem, por experiência, que o Evangelho do perdão e da misericórdia pode levar alegria e reconciliação, justiça e paz… O mandamento do Evangelho - «Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, baptizando-os em nome do Pai, do Filho e Espírito Santo, ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado» (Mt 28, 19-20) – não terminou, antes pelo contrário impele-nos a todos, nos cenários presentes e desafios actuais, a sentir-nos chamados para uma renovada «saída» missionária”, escreveu o Papa.
A Sociedade Missionária da Boa Nova
A Sociedade Missionária da Boa Nova (SMBN), tem 86 anos, uma idade próxima dos 90 anos do Dia Mundial da Missões. E esta proximidade deve-se uma vez mais ao Papa Pio XI. De facto, foi graças à intervenção directa e pessoal de Pio XI, o chamado Papa das Missões, que se constitui em 1930, a Sociedade Portuguesa das Missões Católicas Ultramarinas. Na sua génese, esta Sociedade Missionária foi uma organização de padres e irmãos leigos, consagrados por toda a vida às missões e a viver em comunidade, quer em Portugal quer nos campos de missão.
A 13 de março de 1937, rumaram para Moçambique os primeiros cinco missionários (2 padres e três irmãos). No ano seguinte, seguiram mais quatro. E as expedições missionárias sucederam-se depois. O Concilio Vaticano (1962-1965) abriu definitivamente os horizontes. E os apelos do Brasil à vinda de missionários chegaram precisamente com o Concílio. Também Angola, há muito que aguardava a chegada dos missionários… Em 1970, parte o primeiro grupo de missionários da SMBN: três para o Brasil e um para Luanda. À Zâmbia, chegam em julho de 1980. E ao Japão em 1998.

Ao longo destes 86 anos,  entrega dos missionários da Boa Nova às terras de missão produziu muitos frutos. Um dos mais evidentes é a multiculturalidade. Hoje, os missionários da Boa Nova são portugueses, angolanos, brasileiros e moçambicanos. in VM out  2016


Mensagens populares deste blogue

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto