MADEIRA Media: Diocese do Funchal retoma edição do «Jornal da Madeira»

MADEIRA
Media: Diocese do Funchal retoma edição do «Jornal da Madeira»
 
Publicação surge em formato exclusivamente
A Diocese do Funchal retomou hoje a publicação do ‘Jornal da Made

ira’, um título que lhe pertence, em formato “exclusivamente online”, com notícias da Igreja Católica na região e no mundo.“Os fracos recursos disponíveis e a menor capacidade financeira da nossa população desafiaram-nos a mudar o rumo até outros ‘mares’ e a lançar a ‘rede digital’”, refere o padre Giselo Andrade, diretor da publicação, no primeiro editorial da publicação online.O site www.jornaldamadeira.com surge depois de uma edição especial publicada no dia 15 de agosto de 2016 e “um período de reflexão sobre o futuro a dar a este título”.Para além das notícias de atualidade, o Jornal da Madeira vai oferecer ao sábado e domingo um “serviço especial de informação religiosa”, intitulado ‘Pedras Vivas’, adianta o diretor.A plataforma digital do Jornal da Madeira torna o título “mais económico” para a diocese, bem como “mais acessível e rápido, contribuindo para reduzir distâncias com os que estão mais longe, especialmente os emigrantes”.“As potencialidades da utilização multimédia e a melhor qualidade das imagens permitem também uma melhor comunicação, adequada aos tempos atuais”, assinala o padre Giselo Andrade.A primeira edição do ‘Jornal’ foi publicada no dia 27 de março de 1906, tendo adotado o nome de ‘Jornal da Madeira’ em novembro de 1923, que a diocese adquiriu no dia 1 de maio de 1932, iniciando a publicação do II série.Em 1985, a empresa proprietária passou a ter uma comparticipação pública regional maioritária e em 2015 a Diocese do Funchal desligou-se da parte que tinha nesta empresa, reservando para si o título do jornal e do suplemento 'Pedras Vivas'.




OC

Mensagens populares deste blogue

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos