NA FORÇA DE DEUS Deus quer-nos livres

NA FORÇADE DEUS
 Deus quer-nos livres
No dia 1 de maio, Dia do Trabalhador, o Papa Francisco encontrou-se com milhares de pessoas provenientes de todas as partes do mundo na Praça de São Pedro, numa manhã ensolarada, num verdadeiro clima de verão. Foi uma oportunidade para ouvir a reflexão do Santo Padre sobre São José Operário e seus apelos àqueles que têm a responsabilidade de administrar o bem comum:
“Desejo dirigir a todos o convite à solidariedade, e aos responsáveis das coisas públicas coragem para fazer todo o esforço para dar novo impulso às oportunidades de trabalho; isto significa preocuparem-se pela dignidade das pessoas; mas sobretudo, quero dizer que não percam a esperança; também São José teve momentos difíceis, mas jamais perdeu a fé e soube superá-los, na certeza que Deus não abandona ninguém.”

Em seguida o Papa fez um apelo à juventude:
“Quero dirigir-me em particular a vocês adolescentes e jovens: empenhem-se nos deveres diários, nos estudos, no trabalho, nas relações de amizade, nas ajudas ao próximo; o futuro de vocês depende também de como vocês souberem viver estes preciosos anos da vida. Não tenham medo do compromisso e mantende viva a esperança: existe sempre uma luz no horizonte.”

Papa Francisco fez uma denúncia sobre a situação do trabalho escravo que ainda existe na sociedade de hoje. “Quantas pessoas, em todo o mundo, são vítimas deste tipo de escravidão, na qual é a pessoa que serve ao trabalho, enquanto deveria ser o trabalho a oferecer um serviço à pessoa para que ela tenha dignidade. Peço aos irmãos e irmãs na fé e a todos os homens e mulheres de boa vontade uma decidida tomada de posição contra o tráfico de pessoas, no âmbito do qual está o “trabalho escravo”.
Falou da festa de São José Operário, e do mês de maio, tradicionalmente dedicado a Nossa Senhora. A figura de São José – disse - remete-nos para a dignidade e importância do trabalho, pois foi com seu pai adoptivo que Jesus aprendeu a trabalhar. De facto, o trabalho enche o homem de dignidade e, em certo sentido, o assemelha a Deus que, como se lê na Bíblia, “trabalha sempre” (cf. Jo 5,17). Isso nos leva a pensar em tantas pessoas que se encontram desempregadas, muitas vezes por causa de uma concepção económica que busca somente o lucro egoísta. Também São José teve de enfrentar momentos difíceis, saindo vencedor pela sua confiança em Deus.

Ao lado de São José, Nossa Senhora acompanhava com carinho e ternura o crescimento do Filho de Deus feito homem. Aproveitemos sempre o mês de maio para reforçar a consciência da importância
 e beleza da oração do terço, que permite aprender de Nossa Senhora a contemplar os mistérios da vida de Jesus, percebendo sempre mais a Sua presença junto de nós.
_____________________________________

RADIO VATICANA  (Armando Soares,VOZ DA MISSÃO, junho 2013 p. 2

Mensagens populares deste blogue

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos