SÍRIA Terminou a batalha de Aleppo

SÍRIA
Terminou a batalha de Aleppo
 
13 DE DEZEMBRO DE 2016  DN/Lusa

Combates na zona leste de Alepo terminaram, diz embaixador russo na ONU
Os combates na zona leste de cidade síria de Alepo terminaram após a retirada de
combatentes rebeldes, anunciou hoje o embaixador russo junto das Nações Unidas
(ONU), Vitali Tchurkine.
"Os combates à volta de Alepo-leste terminaram", afirmou o diplomata,
acrescentando que "os combatentes rebeldes começaram a partir" e que, na
sequência desta retirada, "as operações militares pararam".
Um acordo para a retirada de civis e de combatentes insurgentes da cidade de Alepo
(norte da Síria) foi hoje alcançado com o Governo de Damasco, havia anunciado antes
o embaixador, uma informação confirmada por responsáveis rebeldes.
Esta informação surgiu poucas horas a seguir ao anúncio de que o Conselho de
Segurança das Nações Unidas iria reunir-se hoje de urgência em resposta à situação
em Alepo, após relatos de que as forças pró-sírias executaram dezenas de civis
naquela cidade devastada por combates.
A reunião de urgência foi solicitada por Paris e por Londres.
Os termos do acordo foram concluídos "sob a liderança da Rússia e da Turquia",
aliados do regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad, e da rebelião síria,
respetivamente, indicou, em declarações à agência noticiosa francesa AFP Yasser al
Youssef, um responsável da estrutura política do influente grupo Harakat Nour Din al
Zenki.
O representante acrescentou que o plano prevê, numa primeira etapa, a retirada de
feridos e de civis, seguindo-se os combatentes com as respetivas armas ligeiras.
"Aqueles que partirem poderão ir para a zona oeste da província de Alepo ou para a
província (vizinha) de Idleb (noroeste)", áreas controladas pelas forças rebeldes,
concluiu.
Uma fonte de outro influente grupo rebelde islamita, Ahrar al-Cham, também
confirmou o acordo para o processo de retirada, precisando que os civis e os
combatentes rebeldes serão transportados em autocarros para essas regiões.
Em reação ao anúncio do acordo, a embaixadora dos Estados Unidos junto da ONU,
Samantha Power, pediu que "observadores internacionais independentes" sejam
destacados para Alepo para supervisionar a retirada "com toda a segurança" dos civis
daquela cidade.
As forças governamentais sírias, apoiadas pelas forças aliadas russas, lançaram há três
semanas uma ofensiva para recuperar a zona leste de Alepo, um bastião rebelde
desde 2012.
Dos 275.000 civis que se estimava viverem em Alepo (a segunda maior cidade síria)
quando foi lançada a ofensiva, cerca de 70.000 fugiram nos últimos dias, na sua

maioria para centros de deslocados montados pelo Governo na parte oeste da cidade.

Mensagens populares deste blogue

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto