SÍRIA Terminou a batalha de Aleppo

SÍRIA
Terminou a batalha de Aleppo
 
13 DE DEZEMBRO DE 2016  DN/Lusa

Combates na zona leste de Alepo terminaram, diz embaixador russo na ONU
Os combates na zona leste de cidade síria de Alepo terminaram após a retirada de
combatentes rebeldes, anunciou hoje o embaixador russo junto das Nações Unidas
(ONU), Vitali Tchurkine.
"Os combates à volta de Alepo-leste terminaram", afirmou o diplomata,
acrescentando que "os combatentes rebeldes começaram a partir" e que, na
sequência desta retirada, "as operações militares pararam".
Um acordo para a retirada de civis e de combatentes insurgentes da cidade de Alepo
(norte da Síria) foi hoje alcançado com o Governo de Damasco, havia anunciado antes
o embaixador, uma informação confirmada por responsáveis rebeldes.
Esta informação surgiu poucas horas a seguir ao anúncio de que o Conselho de
Segurança das Nações Unidas iria reunir-se hoje de urgência em resposta à situação
em Alepo, após relatos de que as forças pró-sírias executaram dezenas de civis
naquela cidade devastada por combates.
A reunião de urgência foi solicitada por Paris e por Londres.
Os termos do acordo foram concluídos "sob a liderança da Rússia e da Turquia",
aliados do regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad, e da rebelião síria,
respetivamente, indicou, em declarações à agência noticiosa francesa AFP Yasser al
Youssef, um responsável da estrutura política do influente grupo Harakat Nour Din al
Zenki.
O representante acrescentou que o plano prevê, numa primeira etapa, a retirada de
feridos e de civis, seguindo-se os combatentes com as respetivas armas ligeiras.
"Aqueles que partirem poderão ir para a zona oeste da província de Alepo ou para a
província (vizinha) de Idleb (noroeste)", áreas controladas pelas forças rebeldes,
concluiu.
Uma fonte de outro influente grupo rebelde islamita, Ahrar al-Cham, também
confirmou o acordo para o processo de retirada, precisando que os civis e os
combatentes rebeldes serão transportados em autocarros para essas regiões.
Em reação ao anúncio do acordo, a embaixadora dos Estados Unidos junto da ONU,
Samantha Power, pediu que "observadores internacionais independentes" sejam
destacados para Alepo para supervisionar a retirada "com toda a segurança" dos civis
daquela cidade.
As forças governamentais sírias, apoiadas pelas forças aliadas russas, lançaram há três
semanas uma ofensiva para recuperar a zona leste de Alepo, um bastião rebelde
desde 2012.
Dos 275.000 civis que se estimava viverem em Alepo (a segunda maior cidade síria)
quando foi lançada a ofensiva, cerca de 70.000 fugiram nos últimos dias, na sua

maioria para centros de deslocados montados pelo Governo na parte oeste da cidade.

Mensagens populares deste blogue

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos