Um Natal mais missionário por P. A. FARIAS

Um Natal mais missionário por P. A. FARIAS

É Natal. Deus mostrou-se-nos em Jesus, presente na debilidade duma criança. Convenhamos que Deus até da ignomínia da Cruz fez surgir a Vida. O Mistério de Natal é um imenso sinal do Amor de Deus que continua a agir no Mundo. É com a força dos pequenos e dos débeis que se constrói o Reino de Deus. É a lógica das Bem aventuranças e do Magnificat de Maria.

Nos meados do século XIX um padre Francês, Charles de Forbin-Janson, perante uma enorme crise de vida cristã na Europa, e até no meio de grandes crispações sociais e religiosas, pensou que nas crianças talvez houvesse uma nova energia cristã e até uma fonte de renovação eclesial. Teve a feliz ideia de convocar as crianças do seu país e com elas iniciar um grande movimento chamado Infância Missionária. Mobilizou as crianças da França para ajudarem as crianças chinesas através da oração e da ajuda material. Até  conseguiu que os pais se associassem a este movimento de tal modo que toda a França se mobilizou a partir das crianças. A Igreja elevou esse movimento infantil à categoria de Obra Missionária Pontifícia. E muitas vocações missionárias surgiram na alma das crianças  através do interesse e preocupação pelo anúncio do Evangelho a todos os povos.

Hoje a IM está presente em toda a Igreja e pretende-se que cada criança se torne ela também missionária rezando pelos seus amiguinhos, partilhando da sua pobreza o pouco que têm, e sobretudo chamando outras crianças para a Igreja e para a catequese. Este movimento nasce do esforço por levar as crianças a encontrarem-se com Jesus, rezarem e tornarem-se apóstolas. Em Portugal este movimento está a ser promovido em várias dioceses em conjugação com os secretariados diocesanos da catequese. É uma riqueza para a catequese e para a Igreja missionária porque está a ser ajudada pelo apoio humano e espiritual das crianças. A Infância Missionária em Angola tornou-se no maior movimento infantil em todo o país. São milhares as crianças que se mobilizam e se tornam missionárias das outras crianças.

Creio que assumir este projecto da Infância Missionária poderá ser entre nós um grande Movimento de renovação cristã por muitas razões. A primeira nasce mesmo do Evangelho e desta quadra natalícia pela qual somos chamados a assumir a lógica de Deus que dos pequenos faz surgir o Seu Reino. Depois é necessário promover uma nova maneira de estar na vida para as nossas crianças, convidando-as a sair do seu mundo fechado e egoísta, abrindo-as à partilha, à doação, à solidariedade. Finalmente, é preciso tornar as nossas crianças missionárias nos seus ambientes já sem referências cristãs e onde muitos dos seus companheiros já nem sequer são baptizados nem têm qualquer prática cristã. É preciso criar a inquietação missionária semeando-a nos corações dos pequeninos.

É um grande projecto para o tempo de Advento e Natal. Precisamos de acreditar que Deus salva o mundo a partir dos pequenos, como sempre aconteceu. Todos, pequenos e grandes, com uma inquietação: sermos discípulos missionários.

Vamos todos fazer mais Natal contemplando o Deus Menino do presépio de Belém, e tornando-nos também nós salvadores do mundo. in VM. dez. 2016

Mensagens populares deste blogue

EGIPTO Nova explosão no Egito às portas de outra igreja

SÍRIA Coligação internacional bombardeia barco e mata mulher e filhos

FÁTIMA Centenário das Aparições – Papa Francisco presidirá à canonização de Francisco e Jacinta Marto